Participei essa semana, nos dias 17 e 18 de setembro, da 5ª edição do “Connected Smart Cities”, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo. O evento envolve empresas, entidades e governos em uma plataforma que tem a missão de inovar e alcançar melhorias para cidades mais inteligentes e conectadas umas com as outras, através de workshops, fóruns de discussão, exposições de novas tecnologias e rodada de negócios.

A etapa da premiação “Connected Smart Cities” é parte importante do evento, pois tem o objetivo de ranquear e mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil. Além disso, tem intenção de promover a discussão, a troca de informações e a difusão de ideias entre governo, empresas e organizações da sociedade civil, focando no atendimento das necessidades do cidadão consciente, contribuindo para que as cidades brasileiras possam se tornar mais inteligentes e conectadas.

A elaboração do ranking é feita por meio de análise de publicações nacionais e internacionais e indicadores sobre a temática de cidades inteligentes, sustentáveis, conectadas e assuntos ligados como por exemplo: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, governança e empreendedorismo.

Entre os quesitos avaliados pela Instituição, os principais são: Veículos, ciclovias, percentual de atendimento urbano de água e de tratamento de esgoto, banda larga de alta velocidade, cobertura 4,5G, Plano Diretor, Patentes, mortalidade infantil, homicídios, Parques tecnológicos, crescimento de empregos e crescimento do PIB per capta de empregos. Campinas ficou em primeiro lugar no ranking geral.

Ranking de Niterói no Connected Smart Cities

Nossa Niterói ficou em 12º lugar na colocação geral e foi a primeira colocada do estado do Rio. Com relação aos temas abordados, Niterói ficou em 3º lugar geral com relação ao MEIO AMBIENTE e em 1º lugar para cidades com mais de 500 mil habitantes; 6º lugar geral em SAÚDE; 15º lugar com relação a SEGURANÇA; 16º lugar em TECNOLOGIA E INOVAÇÃO; 33º em GOVERNANÇA; 39º em URBANISMO; 41º lugar em MOBILIDADE e EDUCAÇÃO e 66° colocado com relação a empreendedorismo. No entanto, a cidade não aparece entre os 100 primeiros na área de ECONOMIA.

Dos três grandes eventos de Smart City que temos no Brasil, eu fui aos três, no entanto, esse é o maior e mais completo evento. Foram dois dias intensos e acima de tudo muito produtivos, em um ambiente de muita troca de experiências e de muito aprendizado.

Deixe uma resposta

quatro × 4 =

Fechar Menu