À frente da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), Felipe Peixoto deu mais um passo para a implantação da Cidade da Pesca, complexo pesqueiro que a ser construído em uma área de 630 mil metros quadrados de Itaoca, em São Gonçalo. O Governo do Estado a seu pedido decretou a utilidade pública do terreno de 50 mil metros quadrados na Praia da Beira (quase 10% da área total) para a construção do Terminal Pesqueiro Público do Estado do Rio de Janeiro (TPP). O empreendimento integra o projeto da Cidade da Pesca, complexo pesqueiro que vai criar, pelo menos, 10 mil novos empregos diretos e duas empresas âncoras, retomando os investimentos na indústria pesqueira do estado.

A instalação do TPP será fundamental para que o município possa recuperar seu desenvolvimento econômico, e a Cidade da Pesca é um mega projeto que visa atrair de volta para o Rio de Janeiro indústrias pesqueiras que nas décadas de 80 e 90, com a falta de incentivos no segmento, migraram para o sul do país.

Desde a desativação do terminal da Praça XV, em 1992, a indústria pesqueira fluminense tem perdido posições no setor. O terminal será a porta de entrada do complexo pesqueiro que utilizará a estrutura feita no local pela Petrobras para o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj): o píer e a estrada para desembarque de equipamentos especiais de grandes dimensões e peso, os chamados Ultra Heavy Over Size ou Uhos. Na unidade será realizado o desembarque do pescado a ser processado ali mesmo, na Cidade da Pesca.

A Cidade da Pesca prevê também a implantação do Condomínio Industrial Pesqueiro Sustentável, contava a época com duas empresas âncoras pretendentes. Uma delas é a Crusoe Foods, com sede no Chile e presente em 23 países da América, entre eles o Brasil. A multinacional pertence à holding espanhola Jealsa-Rianxeira – primeira da Espanha, segunda da Europa e quarta do mundo no segmento de conserva de pescado – que ocupará uma área de 100 mil metros quadrados para fixar uma indústria no local. A parceria trará para o estado cerca de R$ 60 milhões em investimentos, com a oferta de 1.500 novos empregos diretos, a maioria para mulheres. A outra empresa é o Estaleiro Tecnológico de Itaoca (Esteit), que vai gerar 600 empregos diretos. Há ainda outras dez empresas que sinalizaram interesse em se instalar no complexo.

Notícias publicadas:

Artigos do blog:

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Felipe Peixoto

Durante seus mandatos, Felipe aprovou mais de 100 leis e presidiu importantes Comissões, como a do Foro e Laudêmio e a da Linha 3 do Metrô. Como Secretário de Estado, Felipe foi responsável por inúmeras realizações e projetos que beneficiaram todas as regiões do RJ. 

 Leia mais sobre Felipe

Fechar Menu