Moradores aprovam por unanimidade nova etapa do processo

Moradores de Jurujuba puderam conferir neste domingo, 30, o plano geral (em elaboração) do Projeto de Revitalização da Pesca Artesanal do bairro, integrante do Programa de Apoio às Atividades Pesqueiras desenvolvido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap). Já realizado em Itaipu e lançado no Gradim, em São Gonçalo, o projeto terá continuidade em outras comunidades pesqueiras do Estado e segue a metodologia participativa de atuação popular, alinhando as demandas das comunidades com as competências das instituições atuantes na localidade.

– O que queremos com esse projeto é melhorar a infraestrutura não só da pesca, mas também do turismo das regiões por ele atendidas. Jurujuba é um bairro que tem tradição pesqueira muito antiga, e com esse projeto vamos atender aos pescadores que têm na pesca o sustento principal ou complementar da sua família e buscam melhores condições de vida e trabalho. Mas o projeto prevê muitas ações que vão atender também os demais moradores e até visitantes – explica o secretário de Estado Felipe Peixoto, à frente da Sedrap.

O projeto visa proporcionar aos pescadores e moradores melhorias na infraestrutura urbana e, especialmente, nos locais de desembarque e abastecimento de pescado, estimulando o desenvolvimento econômico e social da comunidade pesqueira, aliado à preservação do valor cultural da pesca artesanal e dos patrimônios histórico, paisagístico e ambiental típicos de Jurujuba.

Apresentação do Plano – Banners com textos explicativos e imagens panorâmicas indicando algumas das intervenções a serem avaliadas ficaram expostos no pátio da Escola Estadual Fernando Magalhães. Ali, foram vistos por muitos moradores, como o presidente da Associação de Moradores de Jurujuba, o motorista Jucélio Francisco Soares, de 65 anos, que aprovou essa primeira etapa do processo.  

– A pesca é uma fonte de renda para praticamente todos os moradores das comunidades de Jurujuba. Por mais que se trabalhe fora, de um jeito ou de outro, convivemos com ela e dependemos dessa atividade como complemento ou até como única fonte de renda. Esse projeto vem para dar novos ares ao ambiente e, quem sabe, fazer Jurujuba voltar a ser como antes.

A moradora Sonia Helena Marques, de 54 anos, integrante da Associação Mulheres do Povo das Águas, também espera que as intervenções possam trazer inúmeros benefícios para o bairro. “Nós, moradores, temos a expectativa de que a revitalização de Jurujuba será muito boa para todos. Seja para o turista ou para quem mora aqui, essa infraestrutura trará uma nova realidade para o bairro.”

O mesmo pensa a auxiliar de serviços gerais Daniela Gomes, 41 anos, moradora do Morro do Lazareto, que apesar do emprego fixo tem na pesca a principal fonte de renda da família. “Sou da maricultura desde a infância, e toda a minha família está há gerações envolvida com a pesca. É muito importante para nós saber que existe um projeto que vai revitalizar toda essa área, e que vamos poder contar com melhores condições de desenvolvermos um trabalho que é garantia do nosso sustento.”

Parceria – Acompanhando de perto a evolução do programa, a pesquisadora da Fiocruz, Kaline Russo, colaboradora do Projeto Eliminar a Dengue: Desafio Brasil, falou do interesse da instituição em estreitar relações com a Sedrap na Revitalização de Jurujuba, divulgando a iniciativa lançada há pouco mais de um ano. “O interesse de investir na revitalização do bairro é algo fantástico, e queremos também atuar nesse processo, conscientizando e buscando melhorias para a comunidade como um todo. Estamos juntos nesse sentido”, garantiu a pesquisadora.

Ascom Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional 

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

sete + catorze =

Fechar Menu