Governo do Estado lança Pedal Cultural no Centro de Niterói

Projeto de cicloturismo une cultura, lazer e mobilidade em uma rica lição de história sobre duas rodas

 Na época do Império, a Praça General Gomes Carneiro, no Centro de Niterói, serviu de palco para uma das cerimônias do beija-mão promovida por Dom João VI, rei de Portugal. Cerca de 150 anos depois, a mesma praça abrigou um rink de patinação, ficando conhecida como Praça do Rink. Essa foi uma das muitas lições de história revividas pelo Pedal Cultural, projeto de cicloturismo lançado neste domingo, 26, pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), reunindo já nesta primeira edição cerca de 60 pessoas em um agradável passeio sobre duas rodas. Em uma rica atividade de lazer, cultura e mobilidade, o grupo foi conduzido pelo historiador Rubens Carrilho na visita guiada por pontos históricos, turísticos, culturais e ambientais do Centro de Niterói.

 O evento foi aberto pelo secretário de Estado Felipe Peixoto, que contabiliza diversas ações envolvendo o uso da bicicleta não só como atividade de lazer e cultura, mas como meio de transporte e frente em prol da mobilidade urbana. Um exemplo é o Estatuto da Bicicleta, elaborado por Felipe na época em que era vereador de Niterói.

 – Fico feliz com o sucesso do Pedal Cultural e com a boa aceitação do projeto. É uma forma de promovermos também a integração entre moradores.  Decidimos começar por Niterói por ser uma região plana, de fácil locomoção para bicicleta, o que nos permite desbravar pontos turísticos com paradas para contar a história do lugar. Isso tudo aproveitando as belezas naturais que temos e estimulando o uso das bicicletas também como transporte – disse o secretário de Estado Felipe Peixoto, que lamentou não poder acompanhar a visita guiada por conta de uma contusão na perna direita.

 Para a secretária Sheila Peres, de 63 anos, moradora do Ingá e apaixonada pela Praça do Rink, o Pedal Cultural uniu o útil ao agradável. “Andar de bicicleta é um hábito que tenho há anos. Poder pedalar e, ao mesmo tempo, conhecer mais a história da minha cidade foi sensacional. Eu já conhecia os pontos por onde passamos e um pouco da história, mas ter alguém explicando, dividindo conosco a sua experiência, foi algo encantador”.

 O passeio – O guia convidado a acompanhar o passeio e explicar os aspectos da cidade foi Rubens Carrilho, estudioso e profundo conhecedor da história de Niterói. Entre os pontos turísticos escolhidos estavam o Paço Municipal, a Casa Norival de Freitas, a Agência Central dos Correios, o Teatro Municipal e o Palácio Araribóia, entre outros. “Aliar cultura e conhecimento ao uso da bicicleta é uma iniciativa de grande valor. Foi um momento bom que passamos juntos. Espero repetir em breve”, disse o historiador.

 Pedal Cultural – Com roteiros programados para revelar importantes aspectos que muitas vezes passam despercebidos em áreas do cotidiano das pessoas, o Pedal Cultural vai explorar uma região a cada mês. “Muitas vezes passamos pelos pontos da cidade diariamente sem ter conhecimento das questões históricas. Com esta iniciativa será possível agregar esse aspecto cultural no dia a dia das pessoas. E o melhor: gerando o mínimo impacto no ambiente”, destaca o arquiteto Glauston Pinheiro, à frente do projeto com a também arquiteta Mônica Campos. Com base nos resultados dessa primeira edição, os organizadores do Pedal Cultural confirmam a proposta de manter o projeto no último domingo do mês. A ideia é percorrer diferentes áreas da cidade e até outros municípios do estado, incluindo ainda o aluguel de bicicletas.

Ascom Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional  

Deixe uma resposta

vinte + vinte =

Fechar Menu