fbpx

Projeto de revitalização urbana para a comunidade pesqueira é apresentada em Niterói

Proposta para o Canto de Itaipu foi realizada com metodologia de construção coletiva

O Canto de Itaipu, região com tradição pesqueira do município de Niterói, ganhou, nesta sexta-feira (5) um projeto executivo com indicações para a revitalização urbana, instalações para o exercício da pesca e de preservação do meio ambiente e do patrimônio histórico. A proposta final foi apresentada aos moradores pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj) no Museu Arqueológico de Itaipu.

Com o custo R$ 631 mil, o projeto foi elaborado pela empresa Campo Arquitetura ao longo de 12 meses e contou com a participação ativa dos moradores, comerciantes e pescadores do local. Ao todo, foram realizadas 23 reuniões onde as deficiências e sugestões para a melhoria do bairro foram debatidas em conjunto com instituições do Governo do Estado, Prefeitura de Niterói e o Governo Federal. Duas mil pessoas serão beneficiadas pelas intervenções. 

– De toda a minha trajetória política, é a primeira vez que vi um projeto ser construído de forma coletiva. Todos deram a sua sugestão. Quero agradecer a todos que participaram. Em agosto, seguirei para Brasília a fim de captar recursos para obra junto ao governo federal – agradeceu Felipe Peixoto que estima serem necessários R$ 18 milhões para a execução das obras.

Para Eliana Virgílio, 53 anos, presidente da Associação de Moradores e Amigos do Morro das Andorinhas e moradora do local há 45 anos, o projeto vai melhorar a qualidade de vida de todos moradores.

– Gostei muito de ter participado da construção do projeto. Foi a primeira vez que o poder público escutou a nossa comunidade. Itaipu estava muito abandonado. Estou otimista e ansiosa para que as obras comecem logo. Quero ver Itaipu lindo. Itaipu merece! – elogiou Eliana.

O comerciante e também morador do bairro, Jorge Bellas, de seus 50 anos, há 28 administra o Bar do Jorginho na orla. Para ele, o bairro precisa estar mais organizado para ter condições de receber os turistas:

– O sonho de consumo dos moradores do Canto de Itaipu é que o local mantenha sua beleza natural e seja bem cuidado.Queremos ter qualidade de vida, mas também saber conviver com os turistas. Itaipu é um local família e tranquilo. Sinto que todos saíram fortalecidos com este projeto. Itaipu merecia essa atenção especial – explicou Bellas.

Já o pescador Aurivaldo Jose de Almeida, 64 anos, conhecido na comunidade como Barbudo, espera muitas melhorias, inclusive para atividade pesqueira.

– É bem-vindo um projeto que beneficie a pesca. Estivemos esquecidos há vários anos. Queremos respeitar as condições sanitárias e poder garantir um peixe com mais qualidade a quem vem até aqui comprar conosco – afirmou Barbudo.

Entre as recomendações apontadas no estudo estão um novo desenho urbano, recuperação da vegetação nativa, adequações do sistema viário, mobiliário urbano, redes de abastecimento d’água, esgotamento sanitário e drenagem pluvial; sistemas de iluminação pública e coleta de lixo; uma unidade operacional de apoio à limpeza urbana, posto guarda vidas, posto de informação, posto comunitário (que servirão também de apoio à vigilância e segurança), quiosques, banheiros públicos e a instalação de ranchos de pesca, rancho para limpeza e manipulação do pescado e uma oficina de manutenção de barcos, em atendimento às necessidades dos pescadores.

O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, compareceu ao lançamento do projeto.

– Foi um processo de escuta da comunidade e uma ótima oportunidade de inserir de forma responsável os pescadores na sociedade. O projeto tem o apoio da prefeitura e faremos de tudo para que cada meta seja alcançada – afirma Axel Grael.

A população também poderá conhecer o projeto, a partir das 18h, na Festa de Itaipu. Uma maquete, plantas arquitetônicas e ilustrações, que mostram como será o resultado das obras, estarão à disposição do público no estande da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional durante o evento. Técnicos da Secretaria também estarão no local informando os detalhes do projeto.

Após o encerramento da festividade no domingo (7), a exposição seguirá para o Museu de Arqueologia de Itaipu onde ficará aberto à visitação entre os dias 9 e 14 de julho das 10h às 17h, de terça à sexta, e das 13h às 17h no sábado e no domingo.

O Projeto Canto de Itaipu integra o Programa de Apoio à Atividade Pesqueira. Outros três estão em fase de desenvolvimento voltados para as comunidades pesqueiras de Jurujuba (Niterói), Gradim e Itaoca (ambas em São Gonçalo).

Ascom Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional 

Felipe Peixoto

Durante seus mandatos, Felipe aprovou mais de 100 leis e presidiu importantes Comissões, como a do Foro e Laudêmio e a da Linha 3 do Metrô. Como Secretário de Estado, Felipe foi responsável por inúmeras realizações e projetos que beneficiaram todas as regiões do RJ. 

 Leia mais sobre Felipe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − três =

  • Palavra-Chave

  • Tipo

  • Tema

  • Ano

  • Cargo