Secretário conheceu instituições de Itajaí e Florianópolis.

O Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, deputado Felipe Peixoto, visitou na última quinta e sexta-feira (13 e 14/10) as cidades de Itajaí e Florianópolis, em Santa Catarina, com o objetivo de conhecer o principal centro pesqueiro do país, que gera mais de 20 mil empregos diretos. Acompanhado do presidente da Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro (Fiperj), Marco Botelho, ele foi a indústrias e a órgãos governamentais.

“A finalidade dessa visita é a troca de informações para podermos colocar em prática no Rio as experiências positivas vividas aqui, onde a pesca é muito bem desenvolvida. Estamos em um processo contínuo de melhoria do setor e o nosso trabalho é para que ele seja cada vez mais crescente”, revela o secretário Felipe Peixoto.

 Em Itajaí, na quinta-feira (13/10), a primeira visita foi ao Sindipi (Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca), entidade com fins de estudo, coordenação, proteção e representação legal das categorias econômicas com base territorial em municípios catarinenses. Felipe Peixoto também pode conhecer algumas indústrias: a Vitalmar, de beneficiamento de peixes; a JS, de captura e comércio de pescados e a Gomes da Costa, líder no segmento de atuns. Ainda na cidade onde se localiza o principal porto pesqueiro do país, o secretário foi a Marejada, maior festa portuguesa e do pescado do Brasil, e a Cepsul (Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Sudeste e Sul), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

 Na sexta-feira (14/10), já em Florianópolis, Peixoto visitou a Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Agricultura e Pesca. O secretário e sua equipe conversaram com técnicos da Cedap (Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca), e puderam conhecer importantes projetos na área da maricultura. Também na capital catarinense, eles foram ao Laboratório de Piscicultura Marinha da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), onde viram tanques de reprodução de sardinhas. E, à noite, compareceram à Fenaostra, a Feira Nacional da Ostra.

“Todas as visitas aqui foram muito proveitosas para a continuidade do nosso trabalho para o crescimento da pesca no Rio de Janeiro. Já estabelecemos uma parceria com a Cepsul e vamos mandar um técnico da Fundação para fazer um treinamento com eles sobre um projeto que usa ísca viva, no caso a sardinha, para a pesca de atum. Essa troca de conhecimentos é muito importante e quem ganha é o setor”, diz o presidente da Fiperj, Marco Botelho, que também estava acompanhado de parte da equipe técnica do Instituto.

 Ascom Secretaria de Desenvolvimento Regional

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

20 − 19 =

Fechar Menu