Ação da Secretaria de Desenvolvimento Regional teve foco na Semana Santa

Mais pescado na mesa da população fluminense é o que deseja a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional com a ação “De Olho no Peixe” que terminou, nesta Sexta-feira Santa (29), em oito mercados de peixe do Estado do Rio de Janeiro. Especialistas da Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro (Fiperj) estiveram nas cidades de Angra dos Reis, Armação de Búzios, Cabo Frio, Macaé, Niterói, Rio de Janeiro (Barra da Tijuca e Copacabana) e São Pedro da Aldeia para explicar ao público como identificar o bom pescado e estimular o maior consumo da carne.

Em Niterói, atores fantasiados interagiram com os frequentadores ensinando-os a avaliar os aspectos ideais para a compra do pescado. Um apresentava características do peixe próprio para consumo. O outro mostrava sinais de decomposição. Durante a encenação, eles chamavam a atenção sobre suas diferenças. Atividades de desenho e pintura atraíram as crianças.

O Mercado São Pedro, em Niterói, é o mais tradicional e movimentado ponto de venda de pescado da Região Metropolitana. Durante os três dias da ação, moradores do Rio, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, São Gonçalo, Maricá e, inclusive, São Paulo estiveram no mercado. Nos sete dias da Semana Santa, é estimada a passagem de 45 mil pessoas pelo local. 

– A maior procura por pescado, faz da Semana Santa o melhor momento para promover seu consumo entre a população. Queremos que as pessoas insiram em seu cardápio o peixe mais de uma vez na semana. É uma carne menos gordurosa e rica em vitaminas. Faz bem para a saúde e para a economia do estado, especialmente para o pescador fluminense que terá o aumento na renda – incentiva o secretário Felipe Peixoto.

Em 2012, o Estado do Rio de Janeiro produziu cerca de 90 mil toneladas de pescado marinho. O estudo da Fiperj aponta crescimento da produção de 15% em relação a 2011. O resultado representou R$ 216 milhões para a economia fluminense e sugere a segunda colocação no ranking nacional.

A campanha, iniciada na quarta-feira (27), contou também com a distribuição de folhetos que divulgavam o principal pescado produzido na região. Em Angra, Cabo Frio e Niterói, o destaque foi a sardinha. Na Barra, o linguado. Em Copacabana, o cação. Em Búzios, o xerelete. Em Macaé, o dourado. E em São Pedro da Aldeia, a tainha.

– Segundo a Organização Mundial da Saúde, o consumo ideal de pescado por pessoa deve ser de 12kg ao ano. O brasileiro ingere abaixo disso, apenas 9kg. A recomendação é que as pessoas comam peixe duas vezes por semana – afirma a médica veterinária da Fiperj Flávia Calixto.

A pesquisadora também citou alguns cuidados que o consumidor precisa ter no momento da compra.

– Olhos transparentes e salientes, guelras róseas ou vermelhas, barriga roliça, firme e sem rupturas indicam que o peixe está fresco e próprio para o consumo – afirmou Flávia.

O marmorista Manoel Pereira dos Santos, 65 anos, que veio do bairro de Inhaúma, na Zona Norte do Rio, comprar peixe no Mercado de São Pedro, aprovou a campanha.

– Temos que ter muito cuidado na hora de escolher o peixe. Achei a campanha importante porque ela aborda justamente essa questão, já que muita gente tem dificuldade de saber como avaliar os aspectos na hora de comprar. Eu já não tenho essa dificuldade porque, nas minhas horas de folga, sou pescador – disse Manoel, ao sair do Mercado de São Pedro com um atum de quase sete quilos.

 Ascom Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

um × 2 =

Fechar Menu