fbpx

Matéria do Jornal O Globo – Terrenos de Marinha: Débitos são suspensos

Os proprietários de imóveis situados em áreas costeiras do estado, chamadas de terrenos de Marinha, ganharam mais um round na luta contra a cobrança das taxas de foro e laudêmio.

Os proprietários de imóveis situados em áreas costeiras do estado, chamadas de terrenos de Marinha, ganharam mais um round na luta contra a cobrança das taxas de foro e laudêmio.

Uma decisão do Juiz André de Magalhães Lenart Zilberkrein, da 4º Vara Federal de Niterói, invalidou o processo da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), cujo objetivo era demarcar a linha que determina que os imóveis estão nessa área e, por isso, são obrigados a pagar uma taxa do governo federal.

Na avaliação do juiz, houve erro no processo de demarcação de terras em 2001, quando a SPU iniciou a homologação e a definição de áreas pertencentes à Marinha. Na época, os proprietários dos imóveis já existentes nesses terrenos não foram intimados individualmente. A convocação aconteceu por meio de edital e, desavisados, eles perderam o prazo para recursos.

Com a decisão, a União terá de notificar, pessoalmente, as pessoas cujos nomes estiverem registrados nos terrenos de Marinha.

Além disso, o juiz determina que seja anulada a inscrição em dívida ativa dos débitos relativos ao não pagamento de foro, laudêmio e taxas de ocupação referentes a esses imóveis.

Por fim, ordena que a União dê ciência à Fazenda Nacional para que requeira a extinção das execuções fiscais ajuizadas.

A decisão vale para os trechos compreendidos entre o município de Parati até Coroa Grande, de Itaipu até Arraial do Cabo (inclusive Região dos Lagos), e de Búzios (Praia de Tucuns) até São João da Barra.

Moradores são obrigados a pagar taxa de desde 2005, para o vereador Felipe Peixoto (PDT), que presidiu a Comissão responsável pelo Relatório de foro e laudêmio da Câmara de Niterói, a sentença dá chance de defesa aos moradores que, desde 2005 viram-se obrigados a pagar as taxas para a União.

– Estamos nesta luta desde então. Realizamos plantões na Região Oceânica, reuniões e várias audiências públicas. Produzimos um detalhado relatório embasado por mapas históricos e argumentações técnicas. Estivemos em Brasília, onde tivemos a oportunidade de discutir o tema com a Secretaria de Patrimônio da União e parlamentares.

Enfim, as coisas finalmente estão caminhando para um final feliz – comemora o vereador.

Jornal O Globo. 09/11/2009, pág 10.

Saiba mais:
Leia aqui a decisão da 4º Vara Federal
Anulada Cobrança de Foro e Laudêmio no Estado do Rio de Janeiro

Felipe Peixoto

Durante seus mandatos, Felipe aprovou mais de 100 leis e presidiu importantes Comissões, como a do Foro e Laudêmio e a da Linha 3 do Metrô. Como Secretário de Estado, Felipe foi responsável por inúmeras realizações e projetos que beneficiaram todas as regiões do RJ. 

 Leia mais sobre Felipe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Palavra-Chave

  • Tipo

  • Tema

  • Ano

  • Cargo

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM