Segundo levantamento de Felipe, só na Região Oceânica 70% das ruas não possui pavimentação. Ele cobrou a conclusão de todas as obras iniciadas pelo governo do PT em 2004 e até hoje não finalizadas. Naquele ano, a Prefeitura realizou reuniões com moradores, distribuiu cartas explicativas e fixou placas nos locais em que seriam realizadas. O abandono destas obras gerou grande frustração.

Felipe posicionou-se no plenário em defesa dos moradores e apresentou pedidos de informaçâo sobre as mais de 50 obras paradas nas regiões Oceânica e Pendotiba. Felipe não obteve resposta da Prefeitura, o que o obrigou a, depois de muito esperar, entrar com uma denúncia formal junto ao Ministério Público, solicitando providências para que essas obras, iniciadas em 2004, fossem concluídas.

Em 2006 a situação se repetiu. Novos prejuízos aos cofres públicos e aos moradores. Todo o trabalho iniciado e não concluído, somado à ação do trânsito e das chuvas, foi irremediavelmente perdido. Felipe destaca que é imprescindível a Prefeitura ter um grande plano de obras nessas localidades. Elas já possuem água e esgoto e agora precisam de um grande plano de drenagem nas ruas e de pavimentação. “Precisamos de um plano de obras definitivo para essas regiões e acabar com tapa-buracos nas ruas” afirma o vereador.

O desrespeito com a população tem que acabar. Além dos velhos problemas causados pelas más condições das vias, a questão da segurança também fica prejudicada. Em duas reuniões realizadas em Pendotiba pela Comissão de Segurança, presidida por Felipe, os moradores colocaram a questão das ruas intransitáveis como um dos fatores responsáveis pelo crescimento do número de assaltos na região. Na ocasião, mais um anúncio foi feito pelos representantes do governo do PT presentes à Audiência: um convênio assinado pela Prefeitura permitiria o asfaltamento de várias ruas da região. Serão concluídas ou mais uma vez ficará na promessa?

Deixe uma resposta

quatro × 2 =

Fechar Menu