Li no “O Globo Niterói” do ultimo domingo reportagem sobre obra de parceria dos moradores com a Prefeitura para drenagem no bairro de Itacoatiara. Segundo a matéria a obra só não paralisou totalmente por falta de material, porque os moradores se cotizaram para comprar cimento e pedra.

A EMUSA, através de sua assessoria de imprensa informou que existem diversas obras de parceria sendo realizadas ao mesmo tempo e não é possível disponibilizar o material para todas.

Lendo o caderno NITERÓI do jornal “O GLOBO” desse domingo, reportagem sobre as ligações na rede pública de esgotos residenciais em Itacoatiara, cumprindo lei de minha autoria, me deparei com outra reportagem que me chamou a atenção. Na mesma página, encontrei a notícia de obra de parceria paralisada porque a Prefeitura não cumpriu a sua parte no acordo,ou seja, fornecer o material.

A obra de drenagem na Av. Beira Mar, estava prevista para ser concluída no fim deste mês. Porém, segundo a reportagem está longe de terminar. Não podemos esquecer que o bairro de Itacoatiara é um local com sérios problemas de drenagem e é um dos mais importantes atrativos turísticos, recebendo nos finais de semana, centenas de turistas.

Fiquei preocupado com a resposta dada pelo responsável pela EMUSA, que através de sua assessoria de imprensa, informou que existem diversas obras de parceria sendo realizadas e não é possível disponibilizar o material para todas ao mesmo tempo. Esse tipo de declaração denota a falta de planejamento das obras da cidade.

Apesar de estarem a mais de 4 anos no poder, os membros do executivo municipal ainda não aprenderam que qualquer obra paralisada, além de ficar mais cara e não solucionar o problema, causa sérios transtornos a população. Infelizmente esse não é um caso isolado. Apresentei diversos pedidos de informações e me posicionei no plenário da Câmara contra essa pratica que vem ocorrendo desde a eleição de 2004, quando foram prometidas e até iniciadas obras em diferentes regiões da cidade sem continuidade. Não obtive resposta. Fiz denuncia formal ao Ministério Público Estadual, solicitando providencias para que as mais de 50 obras prometidas e iniciadas em 2004, fossem concluídas.

Não sei se é coincidência, mas esses casos se tornam mais freqüentes nos períodos de eleição, quando na ansiedade de elegerem seus candidatos, o Governo promete mais do que tem condições de cumprir. Essa prática só acarreta prejuízos aos cofres públicos, além de gerar uma profunda frustração nos moradores e aumentar o descrédito nos políticos.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

1 × 5 =

Fechar Menu