Intolerância religiosa não cabe aos homens de fé

Respeito é preceito básico para que se estabeleça qualquer tipo de
relação e coexistência em sociedade. E quando questão envolve a fé não
poderia ser diferente. Cada um tem o direito de escolher a forma que quer
exercê-la e, não pode ser perseguido ou agredido pela religião que escolhe
abraçar.

Não raro temos notícias dando conta de ataques a templos religiosos e uma série de outros atos de total desrespeito ao livre direito de credo. Na tentativa de frear a
intolerância religiosa pelo menos em Niterói, quando vereador, aprovei em
2008 a Lei 2621 que inclui no calendário oficial da cidade, a Semana
Municipal do Combate à Intolerância Religiosa, que acontece anualmente
entre os dias 16 e 22 de novembro.

Também na Câmara Municipal, foi de minha autoria a homenagem,
em 2010, ao escritor e orador Divaldo Pereira Franco, conhecido como um
dos maiores médiuns espíritas da atualidade, o qual foi agraciado com a
medalha José Clemente Pereira, principal honraria da cidade de Niterói. A
medalha foi entregue durante sessão solene que homenageou o Doutor
Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti.

Esses homens da fé, como tantos outros de outras religiões ou
credos, assim como seus adeptos e discípulos, devem ser respeitados por
todos pois são livres para exercer seu direito de escolha, no caso, religiosa.
Repudio toda e qualquer tipo de intolerância, lutei, luto e sempre lutarei por
essa causa, seja em que nível for e, em particular pela liberdade religiosa.
Esse é um compromisso do qual não abro mão.

Fechar Menu