Felipe Peixoto protocola notícia-crime contra Rodrigo Neves

Além de participar à tarde do debate com prefeitáveis no jornal Extra e se reunir à noite no Centro com profissionais da saúde, o candidato a prefeito de Niterói pelo PSB, Felipe Peixoto, teve uma atividade diferenciada na agenda desta sexta-feira, 21. Com o seu vice, o delegado da Polícia Federal Antônio Rayol, e um dos advogados da coligação Cidade Limpa, Leonardo Honorato, protocolou pela manhã no Ministério Público Eleitoral notícia-crime contra o prefeito Rodrigo Neves (PV) por ofensas pessoais. A ação foi motivada por ataques como o identificado no último dia 8, no Fonseca, na Zona Norte, onde Rodrigo se referiu ao adversário como “vagabundo”, “pilantra” e “mentiroso”, com toda a agressão registrada em vídeo que circula nas redes e entregue ao MP.

– É muito triste vermos o prefeito fazer uma política tão suja ao ponto de falar esses absurdos que ouvimos pelas ruas de Niterói. Chegou a um nível que precisamos recorrer à justiça. Nunca me referi ao prefeito e nem a ninguém dessa maneira. Queremos uma cidade limpa, uma política nova. A prática de disseminar informações desse nível não faz parte do que desejamos para Niterói, só comprova o desespero do adversário. Me ataca buscando confundir o eleitor, querendo mostrar que nada tem a temer, mas sabe que tem um motivo forte para sua rejeição de mais de 60% registrada nas urnas: sua citação na Operação Lava Jato, o que nos sentimos na obrigação de informar aos eleitores – disse Felipe Peixoto.

Matéria tendenciosa – As agressões chegaram também em forma de panfletos já impedidos de circularem pela juíza Nearis Arce, da 113ª Zona, que nesta quinta-feira, 20, determinou a busca e apreensão junto aos comitês de Rodrigo Neves de exemplares do jornal diário O DIA de quarta, 19, que contém reportagem tendenciosa. Sem assinatura, a matéria visa atribuir ao candidato no período de secretário Estadual de Saúde a culpa por medicamentos vencidos, mesmo já sendo de conhecimento público que foi justamente a Corregedoria criada por Felipe que identificou as toneladas de remédios adquiridos antes de sua chegada à SES.

O presidente da Associação de Fibrose Cística do Rio de Janeiro, Cristiano Silveira, que participa da matéria, criticou a reportagem, assegurando que em nenhum momento o nome do ex-secretário foi mencionado na conversa com o jornalista do jornal O Dia. “Nos sentimos usados, pois o assunto era os remédios, uma causa maior, sem qualquer relação com o ex-secretário”. A matéria foi também reprovada por Luciana Lisboa, que na luta pelos direitos de remédios para doentes de Pompe, como o seu namorado Ismael Lima, esteve com o ex-secretário Felipe Peixoto duas vezes ao longo de 2015.

– Graças a ele que conseguimos os remédios, suspensos de novo no início desse ano, logo após a sua saída. Uma injustiça essa matéria – lamentou Luciana.

Segundo a denúncia formalizada pela coligação “Cidade Limpa” do candidato do PSB, os exemplares estavam sendo distribuídos gratuitamente por integrantes da campanha de Rodrigo Neves, conforme comprovação em vídeo, o que configura propaganda irregular que pode render multa e até cassação de registro, com inelegibilidade por oito anos. A juíza determinou também a notificação do candidato do PV e da coligação “Pra Seguir em Frente”, no sentido de interromperem imediatamente a distribuição do jornal, sob pena de multa.

Reunião – Felipe Peixoto encerrou a agenda do dia reunido com cerca de 100 profissionais da saúde no auditório do edifício Tower, no Centro, reafirmando suas propostas para a área, como a valorização dos servidores e a modernização do Programa Médico de Família, com marcação de consultas e exames online, abertura aos sábados e remédios em estoque. O candidato falou também do projeto de incorporar as obras do Rio Imagem 2, implantado ali o Centro de Especialidades de Niterói, com médicos especialistas e equipamentos modernos, com consultas e exames no mesmo espaço. “Precisamos garantir o direito à atenção básica aos niteroienses”, disse.

Debate – No debate do Extra transmitido ao vivo pelo face do jornal, Felipe apresentou mais uma vez propostas para mobilidade, saúde, educação e segurança, prioridade do seu Programa de Governo. O candidato ressaltou que o município precisa assumir a sua responsabilidade no combate à violência. “Vamos retomar o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), o que vai permitir dobrar o número de policiais patrulhando as ruas. O Cisp precisa funcionar de verdade, para garantir que a população ande com segurança nas ruas de Niterói. Vamos fazer dele um centro de comando e controle com proatividade, porque não adianta espalhar câmeras para ficar vendo as pessoas sendo assaltadas. As pessoas estão com medo de andar nas ruas de Niterói. Precisamos mudar isso”, disse Felipe, que presidiu a Comissão de Segurança da Câmara Municipal e tem como vice o delegado federal Antônio Rayol.

DEIXE SEU COMENTÁRIO