Felipe Peixoto começa semana com participação em debate do Sindilojas e sabatina em Igreja Batista

O candidato a prefeito de Niterói pelo PSB, Felipe Peixoto, abriu a agenda desta segunda-feira, 17, penúltima semana de campanha, com uma atividade bem diferente. Com o seu vice Antônio Rayol, delegado da Polícia Federal, esteve na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no Centro do Rio, para solicitar reforço na fiscalização da eleição em Niterói no próximo dia 30. Com a afirmativa do presidente da casa, desembargador Jayme Boente, os dois retornaram a Niterói para o debate de prefeitáveis organizado pelo Sindilojas (Sindicato dos Lojistas do Comércio de Niterói), primeiro dos cinco agendados para o segundo turno. À noite, Felipe participou ainda de sabatina na Igreja Batista da Orla de Niterói (Ibon), no Ingá.

Foram mais de duas horas de debate entre os dois candidatos a prefeito de Niterói, que responderam ao todo 12 perguntas elaboradas pelo Sindilojas e outras três instituições do segmento empresarial de Niterói: a Câmara de Dirigentes (CDL), a Associação Conselho Empresarial e Cidadania (ACEC) e Associação Comercial e Industrial do Estado do Rio de Janeiro (ACIERJ). Além de educação, saúde, segurança e mobilidade, o evento tratou de temas com foco em negócios. Na área de desenvolvimento econômico, Felipe destacou a necessidade da administração municipal investir nas indústrias naval e pesqueira, com ações como a intermediação do desassoreamento do canal de São Lourenço, na Baía de entre outras medidas.

– Dei início a esse processo como secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca. Em parceria com a Capitania dos Portos, realizamos um inventário de todas as carcaças de barcos obstruindo os canais de navegação e repassamos à Secretaria Estadual de Ambiente para os procedimentos de retirada. Um dos principais gargalos do setor é justamente a limitação dos canais hidroviários, pois inviabiliza uma série de aportes de negócios e diminui a competitividade. Niterói é o berço da indústria naval no Brasil, e por isso vamos fazer todos os esforços para resolver esse problema – afirma o candidato, que apresentou outras propostas que visam atrair novos empreendimentos para a geração de emprego e renda, como a atualização da legislação urbanística e a simplificação dos processos de licenciamento.

Felipe Peixoto detalhou ainda propostas como o Centro Limpo, que prevê avanços nas áreas de limpeza e manutenção, e a revitalização da região com ações como a criação de um polo cultural explorando o potencial estudantil local. Na mobilidade, o candidato reforçou que vai não só concluir como ampliar a Transoceânica, mas readequando o projeto às reais necessidades da população e auditando contratos da obra sem projeto fechado e na mira da Lava Jato. Já na segurança, prioridade do seu Programa de Governo, Felipe frisou a retomada do Programa Estadual de Integração da Segurança (Proeis).

– O município precisa assumir a sua responsabilidade no combate à violência. Vamos retomar o Proeis, cortado em 2012 pela atual administração, e que, em parceria com o Estado, permite hora extra para profissionais de segurança na folga. Com isso, vamos também dobrar o número de policiais patrulhando as ruas e transformar o Cisp em um centro de comando e controle de verdade, porque não adianta espalhar câmeras para ficar vendo as pessoas sendo assaltadas. Também vamos implantar o Niterói Presente e ampliar e capacitar a nossa Guarda Municipal – disse Felipe, com a experiência de quem presidiu a Comissão de Segurança da Câmara e escolheu como vice um delegado federal especialista na área de segurança.

No lazer e turismo, o candidato falou da necessidade de criação de um Centro de Convenções no Caminho Niemeyer e da revitalização do ginásio Caio Martins com a derrubada dos muros, integrando o campo à cidade. Outro assunto tratado por Felipe foi a reforma administrativa com o enxugamento da máquina e a criação de uma corregedoria para combater a corrupção. “Não é possível termos uma prefeitura com quase 50 órgãos com staff de secretaria, mais do dobro dos 24 ministérios que temos para tocar todo o país. Isso precisa ser readequado”, disse Felipe.

DEIXE SEU COMENTÁRIO